Educação de 0 ao Papai,  Psicologia

Brincar é coisa séria


Quando uma criança brinca na verdade ela está aprendendo a movimentar o corpo e se relacionar com as pessoas, objetos, espaço e tempo.

A Psicomotricidade utiliza o corpo em movimento como meio de relação consigo própria e com o outro.


No período da primeira infância domina a exploração sensório-motora como forma privilegiada para estimular o desenvolvimento da atividade perceptiva e da atividade simbólica e conceptual. Nesta etapa de desenvolvimento é muito importante a valorização das ações da criança e o incentivo à exploração de todas as formas possíveis de expressão, expressão motora, gráfica, verbal, sonora, plástica.


Na sua vertente preventiva, a psicomotricidade, procura promover e estimular o desenvolvimento, incluindo a melhoria, manutenção de competências de autonomia ao longo de todas as fases da vida de um indivíduo.


Na infância a psicomotricidade vai potencializar o desenvolvimento da função simbólica; o desenvolvimento de habilidades corporais como o equilíbrio, coordenação, dissociação, orientação espacial e temporal, devendo-se, para tal, praticar uma ação pedagógica, prática de uma educação psicomotora desde cedo tenderá a aumentar o potencial físico, intelectual e afetivo das crianças.

A psicomotricidade auxilia no desenvolvimento da:

• Coordenação motora ampla;
•Esquema corporal;
•Estimula orientações espacial e temporal;
•Amplia o equilíbrio e a lateralidade;
•Melhora o tônus muscular.

Na prática a psicomotricidade ocorre no brincar, nas atividades pedagógicas, educação física, dança, esporte, etc.
Correr, pular, dançar, agachar, rolar, saltar, alcançar, esticar, equilibrar, desenhar, escrever, abraçar, girar, engatinhar, caminhar, jogar, pegar, encaixar, amarra, recortar, amassar… Envolvem o corpo de forma complexa.

Na sala de aula as atividades tem objetivo específico, mas em casa promovemos esse desenvolvimento de forma inconsciente, por tanto estar atendo ao desenvolvimento do seu filho auxilia na percepção de atrasos, limitações, dificuldades que podem estar relacionados a distúrbios que ao serem detectados precocemente tem melhor resultado.

Assim sendo, brinque, role no chão, pule, desenhe, faça muitas atividades com os pequenos de forma a promover aprendizado, afeto, parceria e relacionamento.

Merison Carmo
Graduada em Pedagogia pós graduada em
Neuropsicopedagoga Clínica e Institucional.
Coordenadora Pedagógica em Escola de Educação Infantil
MBA em Coach


Brincar é coisa séria!



Lucas Bassualdo, entusiasta em Marketing Digital e atendimento, sou apaixonado pelo universo infantil e atuo como Palhaço a mais ou menos 10 anos, algo que me trás vida. Sou pai da Júlia, uma mini palhaça e mega comunicativa, mas graças a Deus é linda igual a mãe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *