A frase que dá título a esse texto já começa muito bem, “Socorro, não tenho paciência com meu filho!”, já começamos remetendo ao autoconhecimento, colocando a responsabilidade sobre nós. EU não tenho paciência, não significa que meu filho esteja tirando a minha paciência, entende?
Esse já é um ponto extremamente importante, pois se a dificuldade está em mim, apenas eu preciso mudar, agir, fazer qualquer coisa, mas isso está ao meu alcance.

Bom, vamos mais a fundo nos motivos disso. Não sei se você já teve acesso ou interesse em buscar sobre o desenvolvimento do cérebro infantil, caso ainda não, vou dar uma breve resumida. Na infância, nosso cérebro se desenvolve por partes (vamos separar assim para ficar mais fácil a didática), primeiramente é desenvolvida a parte emocional, para mais tarde ser desenvolvida a parte racional. Por isso que muitas vezes ocorre das crianças pedirem para irem vestindo uma fantasia do Batman na aula de natação. Elas não possuem o racional desenvolvido, apenas o emocional, então querem pelo simples fato de querer, não é necessário uma explicação lógica para isso. O mesmo motivo que não adianta falar para os pequenos que já está a mais de 1 hora tomando o café e não termina. Eles não fazem a mínima ideia do que isso significa.

Para termos ainda mais clareza de como isso acontece, a analogia que podemos fazer é com os nossos sonhos. Conforme pesquisas recentes, quando dormimos, uma parte do nosso cérebro é desligada, a parte racional. Por esse motivo que algumas vezes sonhamos cenas absurdas, sem lógica alguma, nosso cérebro racional está desligado, as cenas não passam pela validação da razão.

Sabendo disso, quando isso acontecer com nossos filhos, podemos pensar em nossos sonhos. As crianças não ligam para a razão, ligam para a emoção, dessa forma, a atitude mais correta que podemos ter é fazer com que, primeiramente, a parte emocional do nosso cérebro converse com o emocional dos nossos filhos, após conseguir a calma o próximo passo e entrar na parte racional. Assim, estaremos conversando a linguagem deles e ajudando eles a desenvolver cada vez mais o cérebro racional.

Outas situações que podem ocorrer é estarmos carregados do dia e não termo a atenção necessária que nossos pequenos tanto pedem e tanto precisam. Chegamos em casa cansados do dia, com muita informações e decisões na cabeça e não conseguimos desligar e focar exclusivamente nos filhos. Para ajudar a resolver essas questões, podemos começar a exercitar a atenção plena. Quando estamos trabalhando, nas nossas atividades profissionais, estamos focados exclusivamente neles, ou a maior parte do tempo. Precisamos fazer a mesma coisa com nossos filhos, como nossa família, estar focados no momento presente, nas brincadeiras, nas refeições, nos momentos de carinho e atenção, nos momentos de necessidades. Atenção e tempo é o maior presente que podemos dar para quem amamos.

Dá próxima vez que surgir a sensação que estamos perdendo a paciência com nossos filhos, pare, conte até 10 e veja mentalmente se essas duas situações não estão ocorrendo: será que estamos falando a linguagem dos nosso filhos, a linguagem emocional? E será que estamos realmente dando a atenção necessária ou nossos filhos estão apenas brigando por atenção, estão competindo com celular, com o jornal, com o futebol, com a novela, com o computador. Criança necessita de atenção!

Author

Lucas Bassualdo, entusiasta em Marketing Digital e atendimento, sou apaixonado pelo universo infantil e atuo como Palhaço a mais ou menos 10 anos, algo que me trás vida. Sou pai da Júlia, uma mini palhaça e mega comunicativa, mas graças a Deus é linda igual a mãe!

Write A Comment